Payday loans uk
  1. Skip to Menu
  2. Skip to Content
  3. Skip to Footer>

CRASE

PDF Imprimir E-mail

C R A S E

 



Primeiramente, é preciso definir o que é crase.

Crase é a fusão da preposição a com o artigo definido feminino a.

Exemplos:

Maria foi à cidade fazer compras.

Como verificar se há  ou não crase no a que antecede cidade?

A maneira  mais  simples é substituindo a palavra cidade  (que é feminina) por uma outra, masculina. Vamos então substituir, exemplificando, por supermercado.

A frase acima passará a ser: Maria foi ao supermercado fazer compras.

Então, a  regra básica para se saber se há ou não crase é só substituir a palavra feminina por uma outra masculina. Se a palavra masculina exigir ao, então no primeiro caso sempre haverá crase.


Nunca use crase (e isto é básico):

● Antes de nomes masculinos: ex: Maria foi passear a cavalo.

● Antes de verbos no infinito: ex.: A professora começou a falar

● Antes de nomes no plural: ex.: Serviram-se lanches a diversas pessoas.

● Antes de nomes geográficos ou de lugar não há crase.

Exemplos: Vou a Fortaleza; Vou a Marília; Vou a Cuiabá;

Um modo prático de verificar se há ou não crase é substituindo o verbo “ir” por “vir” e experimentando a preposição “de”.  Assim, teremos por exemplo, no caso do vir, a substituição do a pelo de ou pelo da. Se o verbo vir exigir de não há crase. Se ao contrário,  exigir da, então haverá crase.

Exemplos:

Vou a Paris; Venho de Paris (sem crase)

Vou a Lisboa; Venho de Lisboa (sem crase)

Vou a Londres; Venho de Londres (sem crase)

Vou à Itália; Venho da Itália (com crase).

Vou à Espanha; Venho da Espanha (com crase).


No caso de nomes geográficos ou de lugar, há uma outra regra bem simples.

Substitua o a por para a.   Se o a substituído exigir para a, então haverá

crase.

Exemplos:

Vou à França (Vou para a França). Existe a crase.

Vou à Itália (Vou para a Itália). Existe  crase.

Vou a Paris (Vou para Paris). Não existe crase.

Vou a Barcelona (Vou para Barcelona). Não existe crase.


Só existem três casos  de crase que precede  a palavras masculinas. É quando ficarem subentendidas as expressões:

  1. À maneira de ou à moda de.

Exemplos: Vestir-se à Pierre Cardin.

Frango à passarinho.

Bife à milanesa.

2)  Quando subentendida palavra como faculdade ou universidade.

Exemplo: Encaminhou o atestado solicitado à  Barão de Mauá.

3)  Com pronomes demonstrativos (àquele, àquela, àquilo) no singular     ou no plural, tanto feminino como masculino.

Exemplo: Darei o prêmio àquele ou àquela que melhor se comportar.


Não haverá crase também:

Antes de pronomes em geral.

Exemplos: Dei o presente a esta menina.

Disse a ela para não vir.

Note que nos dois exemplos acima o a é simples preposição

Antes de pronomes de tratamento.

Exemplo: Entreguei a encomenda a Sua Exa. (para Sua Exa.)

Contudo, há 3 pronomes de tratamento que são craseados:

São eles: senhora, senhorita e dona.

Exemplos: Refiro-me à senhora; Dirigi-me à senhorita ou à dona.

No caso de horas: sempre haverá crase;

Exemplo: É provável que chegaremos às duas horas

 

Alguns exemplos de locuções craseadas:

à direita                                 às claras

à esquerda                           às expensas

à escolha                              às margens de

à evidência                           às ordens

à espera                               às vezes

à falta                                    chegar à conclusão

à feição                                dar à luz

à força                                  estar à altura

à frente                                 estar à espera

à maneira                            estar à disposição

à medida                             estar à vista

à disposição                       estar à vontade

à primeira vista                   exceção à regra

à proporção                        faltar às aulas

à raiz                                    de frente à

à risca                                 passar à frente

à saída                                saltar à vista

à semelhança                    à vontade

à vista                                 uma à outra


Sem crase – nos exemplos abaixo não há crase, o a é preposição.

a bem de                               a duras penas

a caráter                                a esmo

a cerca de                             frente a frente

a curta distância                   gota a gota

a meia altura                         a grande distância

a curta distância                   a montante

a custo                                   a meia distância

a partir de                              a pequena distância

de ponta a ponta                  a prazo

a duas mãos                         de segunda a sexta


Crase facultativa – em muitas locuções a crase é facultativa, podendo-se usar apenas a preposição. Alguns exemplos:

comparecer a/à reunião  face a/à

com respeito a/à favorável a/à

contíguo a/à junto a/à

contrário a/à graças a/à

de encontro a/à no tocante a/à

dar vazão a/à próximo a/à

dirigir-se a/à rumo a/à

em frente a/à semelhante a/à


Não há crase:

Nos substantivos repetidos:

Exemplos: Cara a cara: Frente a frente.

Diante de pronomes como: ela, esta, essa, etc.

Exemplos: Mandou flores a ela; Não vim a esta (ou essa) casa.

A crase é facultativa também antes de nomes próprios de pessoas        femininas e antes de pronomes possessivos femininos.

Exemplos: Falei à Maria (Falei para a Maria)

Falei a Maria (Falei para Maria).